Organizações Teal: entenda o conceito empresarial do futuro

Organizações Teal

Seja você um gestor ou funcionário, certamente já parou em algum momento para pensar na empresa dos seus sonhos. Aquela em que você adoraria trabalhar. Como ela seria? As organizações estão em constante processo de evolução, mesmo que isso não seja percebido no dia a dia. Ao longo dos anos, no entanto, mudanças profundas se estabelecem em seus modelos de trabalho. 

Em 2014, o belga Frederic Laloux publicou um livro que revolucionou a forma com que enxergamos as empresas e os modelos de trabalho. O livro se chama Reinventing Organizations e ele foi publicado no Brasil com o título em tradução literal, Reinventando Organizações. Na obra, Laloux apresenta alguns paradigmas empresariais em que as companhias se encaixam, entre eles, as Organizações Teal. Siga no texto, pois vamos conversar um pouco sobre o assunto!

Entendendo as organizações

Antes de chegarmos especificamente ao âmbito empresarial, vamos relembrar o conceito de “organização”? Uma organização pode ser definida como um conjunto de indivíduos que combinam esforços com o objetivo de realizar propósitos coletivos.

Entenda as organizações teal

Os grupos indígenas são exemplos de organizações.

As organizações existem desde o surgimento dos primeiros hominídeos, e elas refletem, é claro, aspectos históricos e paradigmas dominantes em sua época. Assim como a sociedade, são mutáveis e estão em constante evolução. 

Mudanças estruturais tão profundas, no entanto, exigem longas caminhadas e o esforço de indivíduos que estejam dispostos a colapsar os paradigmas vigentes. Uma mudança organizacional, afinal, só é possível por meio das pessoas

Reinventing Organizations e os paradigmas empresariais

Em seu livro, Laloux usa como base a Teoria Integral, de autoria do psicólogo Ken Wilber, para traçar esses paradigmas e entender em que estágios de desenvolvimento as organizações se encontram. Nessa linha de evolução organizacional, o conceito Teal seria a etapa final, o ideal a se alcançar.

Organizações Teal

Infográfico dos paradigmas empresariais propostos por Laloux em Reinventing Organizations. | Imagem: Reprodução/Huffington Post

 

Organizações Vermelhas

 

A característica principal desses grupos é a impulsividade e seus motores propulsores são a força, o poder e o medo. Isso significa que o líder de uma organização vermelha trabalha na base do autoritarismo, mantendo as pessoas amedrontadas enquanto cumprem ordens. Nesse tipo de organização, não existe hierarquia, existe apenas o líder e os seus subordinados. 

Exemplo: Máfia e algumas tribos. 

 

Organizações Âmbares

 

Esses grupos são definidos por Laloux como conformistas. Neles, já surgem as estruturas hierárquicas com papéis bem definidos e o nível de poder passa a ser relacionado à posição que se ocupa, não à força. Com essas organizações nasceu a cultura do planejamento e a ideia de estabilidade. 

Exemplo: Parlamentos e igrejas tradicionais.

 

Organizações Laranjas

 

Chegamos aos grupos considerados conquistadores. Eles nascem como um produto da Revolução Industrial e trabalham por meio da produção em massa e da padronização. Ao inserir em seu modelo de hierarquia a possibilidade de ascensão por mérito, essas companhias fomentam tanto a concorrência interna como a externa. 

O poder, pela primeira vez, não é definitivo, passa a ser possível conquistá-lo com inteligência e entrega de resultados. É nesse estágio de desenvolvimento que se encontram a maioria das grandes empresas atuais.

Exemplo: Universidades públicas e multinacionais.

 

Organizações Verdes

 

Os grupos de característica pluralista/familiar chegaram para questionar os valores das organizações laranjas, estritamente baseados em competitividade. O desejo de harmonia e tolerância rege as organizações verdes, que podem até permanecer no modelo hierárquico, mas os líderes têm como principal função zelar pela autonomia da equipe, pelo seu bom desenvolvimento como um todo e pelo relacionamento saudável entre os indivíduos. Sim: pela primeira vez passou-se a considerar a importância das relações interpessoais no trabalho. 

Exemplo: Movimento Lean e a empresa Ben & Jerry’s.

Organizações Teal

O mundo chegou à sua quarta revolução (ou ainda, à era da Indústria 4.0) e o poder centralizado e hierárquico perde cada vez mais espaço. Essa revolução, catalisada pelo avanço da tecnologia, é marcada por mudanças que surgem a todo momento, em velocidade acelerada. As empresas Teal são consideradas organizações evolutivas, visto que seu principal propósito é abraçar esse constante processo de evolução e estar sempre trabalhando pela inovação empresarial.

Além do propósito evolutivo, essas companhias têm como principais características o poder de autogestão, no qual a necessidade de controle é substituída pelo incentivo à autonomia. O bem-estar generalizado também é uma busca para as Teal, que sabem que seres humanos são muito mais que apenas uma força de trabalho e devem ser vistos e compreendidos em toda a sua complexidade. 

Exemplo: Empresa Morning Star.

Por que o futuro é Teal?

Como já comentamos mais acima, para que uma mudança aconteça nas organizações ela precisa acontecer nas pessoas que as compõem – e as pessoas estão mudando. As novas gerações têm uma relação muito diferente com o trabalho do que era observado até então: sua principal busca é por propósito e liberdade

Para continuar fazendo sentido no mundo e retendo grandes talentos, as empresas precisam acompanhar essa movimentação. O conceito Teal se refere justamente a esse estágio da consciência humana, que quer trabalhar para alcançar objetivos significativos, e não funcionar apenas como peça de uma engrenagem para que uma empresa tenha lucro e bata suas metas. 

As Organizações Teal possuem propósitos claros e abertos para todos os colaboradores, bem como são autogeridas por todos eles e oferecem um ambiente onde cada indivíduo possa se mostrar de forma integral, ser ele mesmo e ser valorizado justamente por isso. 

É preciso ter coragem para transicionar o paradigma de uma empresa, mas os resultados positivos são expressivos e sair na frente nessa corrida pode fazer toda a diferença para a trajetória de sucesso de uma organização. 

Organizações Teal

As empresas do futuro trabalham com base em propósito, não apenas em metas.

Gostou do conteúdo? Para receber direto na sua caixa de entrada informações sobre gestão empresarial, trabalho com propósito e o futuro organizacional é só assinar a nossa newsletter preenchendo o formulário abaixo!


SCROLL UP