Conheça o escritório do futuro e saiba como chegar lá

escritório do futuro

Feche os olhos por um momento e imagine o escritório do futuro. Será que você acertou? Se imaginou que, muito mais do que um novo formato arquitetônico, o futuro (que já chegou!) traz uma nova maneira de enxergar o trabalho e lidar com as relações profissionais, você pode dizer que está por dentro do assunto. Continue no texto para saber mais sobre como vai ser o escritório do futuro

Flexibilidade e conexão: palavras de ordem para o futuro do trabalho

Em 2016, a empresa Citrix, voltada para tecnologia móvel, lançou um estudo chamado “Workspaces of the future”, que entrevistou quase 2 mil seniores do mercado de trabalho em 19 países diferentes. 

A pesquisa mostrava que até 2020 os escritórios passariam a ter espaço físico reduzido, contar com menos mesas do que funcionários, ter ambientes colaborativos e inspiradores e incentivariam o trabalho remoto, oferecendo mais liberdade para as pessoas trabalharem de onde quisessem. A previsão era de que 64% dos colaboradores passariam a adotar o home office.  

Bom, o estudo certamente não previa uma pandemia que acabaria tirando o mundo do eixo e, com isso, os formatos de trabalho — mas deu para perceber que as restrições sociais impostas pela Covid-19 só fizeram acelerar o que já era previsto e o escritório pós-pandemia se tornou, rapidamente, uma realidade. 

O estilo de trabalho flexível é uma tendência global que acompanha os avanços tecnológicos das últimas décadas, que impulsionaram uma busca cada vez maior dos profissionais por liberdade e propósito em suas relações de trabalho. 

A cultura do Remote First atende a essa demanda por buscar a excelência nas dinâmicas de trabalho em modelo híbrido, no qual alguns funcionários optam pelo trabalho 100% remoto enquanto outros preferem estar no escritório.  Para que isso funcione, no entanto, o ambiente físico do escritório também precisa estar alinhado às tendências.

Escritório do futuro: alterações físicas

O novo ambiente de trabalho deve levar em consideração a necessidade de conexão à internet, que para sustentar modelos híbridos de trabalho precisa ser a mais potente possível. Pelo fato de que alguns funcionários trabalharão sempre a distância ou visitarão o escritório apenas algumas vezes na semana, o espaço físico pode ser menor do que seria necessário para abrigar todos os colaboradores ao mesmo tempo, bem como não precisa haver uma mesa para cada um. O foco da arquitetura corporativa deve estar nas salas colaborativas e nos espaços de convivência. 

A disponibilização dos equipamentos de trabalho também muda. Segundo o estudo, mais de 80% das empresas devem passar a usar o sistema em que cada funcionário leva para o escritório o próprio dispositivo — sendo que a maior parte das companhias participa da compra do equipamento total ou parcialmente.

escritório do futuro: traga seu próprio dispositivo

A iniciativa BYOD (Bring your own device) vem tomando cada vez mais força e se comprovando uma tendência.

A cultura colaborativa deve imperar

Cultura colaborativa é um termo que vem sendo bastante utilizado e se refere à capacidade das equipes de trabalharem em grupo, com todos os seus colaboradores contando uns com os outros, contribuindo com suas ideias e sabendo ouvir as propostas dos colegas. Para que esse cenário aconteça, é preciso romper o paradigma de que os funcionários são rivais uns dos outros e estão constantemente competindo por mais valorização ou promoções.

É importante, portanto, estabelecer um ambiente de confiança que impulsione a integração entre todos os membros da equipe e lembre constantemente que todos estão trabalhando juntos por um objetivo em comum.

Essa cultura pode ser trabalhada e incentivada desde a arquitetura do escritório, que deve oferecer espaços cada vez mais abertos, integrados e coletivos. A diminuição das paredes e divisórias, bem como a extinção dos postos fixos de trabalho nas mesas faz com que os colaboradores se sintam mais à vontade para interagir uns com os outros. 

Os espaços de convivência com sofás e poltronas confortáveis também convidam os colaboradores a se sentarem para trocar ideias ou manter conversas pessoais, que são importantes para desenvolver o contato humano entre as equipes fora do estritamente profissional.

Os trabalhos em equipe também devem ser cada vez mais valorizados, para que fique marcado na cultura da empresa o quanto pessoas com habilidades e visões diferentes podem contribuir juntas para a melhor realização de uma atividade. Os gestores devem reconhecer os resultados positivos do trabalho em equipe e os colaboradores precisam compreender o quanto alcançam resultados melhores quando trabalham colaborativamente.

Deve ser incentivada na empresa, também, a cultura do diálogo, tanto entre os pares de trabalho quanto de forma vertical (entre funcionários de cargos hierarquicamente diferentes). Quando todos se sentem mais confiantes para conversar e trocar ideias tanto com seus colegas quanto com seus gestores, o clima organizacional tende a ser mais positivo e as trocas acontecem com muito mais naturalidade.

 

 

Os colaboradores são seres humanos

Parece bobo, mas até não muito tempo atrás os gestores prezavam por enxergar apenas o lado profissional de seus funcionários e jogar o lado humano para debaixo do tapete. Atualmente, vem ficando cada vez mais claro que não existe trabalho sem humanidade e que as pessoas precisam ser vistas e ouvidas.

O escritório do futuro deve lembrar que cada um de seus funcionários é um ser humano, e não um número, e que, para entregar o seu melhor no trabalho, deve se sentir confortável no ambiente e nos processos da empresa, bem como ser acolhido em suas questões e ter sua saúde física e mental preservadas. 

escritório do futuro: flexibilidade no trabalho

A flexibilidade no trabalho também é uma grande aliada da manutenção da saúde mental dos funcionários.

O ambiente físico do escritório também influencia muito no bem-estar dos colaboradores. Não é à toa que foi criada em 2014 a certificação Well, que visa avaliar exclusivamente a saúde e o bem-estar dos ocupantes das edificações. 

Ela é o resultado de sete anos de pesquisa do International Well Building Institute (IWBI) e, administrada em parceria com o órgão Green Building Certification Institute (GBCI), estabelece requisitos de desempenho nas seguintes categorias: ar, água, alimentação, iluminação, fitness, conforto e mente. 

Para conseguir a certificação, a empresa deve garantir um bom desempenho em todos esses quesitos, que asseguram que o ambiente seja saudável e confortável para que o funcionário passe suas horas de trabalho.

Sustentabilidade importa

As pessoas buscam cada vez mais por propósito em suas relações de trabalho, e o respeito ao meio ambiente certamente faz parte disso. Consumidores se preocupam cada vez mais em comprar de empresas conscientes, e profissionais também já se atentam a isso na hora de buscar um novo trabalho. 

A sustentabilidade nas empresas nunca esteve tanto em pauta e certamente está presente na concepção do escritório do futuro, que reduz drasticamente o uso de descartáveis, evita impressões em papel, incentiva o arquivamento digital, utiliza iluminação de LED e faz coleta seletiva do lixo. 

Outra tendência atual, que conversa com a busca por flexibilidade e sustentabilidade nas empresas, é a do Everything as a service ou, em tradução livre, “Tudo como serviço”. Ela reflete um comportamento de consumo bem diferente do que era visto até então: nele, sente-se menos necessidade de adquirir coisas, e, sim, alugá-las pelo período de uso.

escritório do futuro: mobiliário como serviço

Você já pensou que alugar móveis pode fazer mais sentido que comprar?

O mobiliário como serviço surgiu para acompanhar as novas demandas dos consumidores, que perceberam que faz mais sentido alugar móveis de acordo com suas necessidades e gostos de decoração do momento do que comprá-los. As empresas também já estão entendendo o mesmo.

Pioneira brasileira no setor, a Hub Móveis lançou um sistema de móveis por assinatura para empresas. Com ele você escolhe não somente um mobiliário personalizado, mas o plano que mais se adequa às necessidades da sua empresa em cada momento. Além disso, todos os móveis são produzidos apenas com madeiras certificadas pelo Forest Stewardship Council (FSC).

O transporte, a montagem e a eventual desmontagem do móvel também ficam a cargo da Hub, de maneira que você não tenha que se preocupar com nada. Para mais informações, é só clicar no banner abaixo! 

SCROLL UP