Espaços colaborativos: como adaptar para voltar ao escritório?

Em tempos de Covid-19 e das novas imposições para o distanciamento social, a percepção dos espaços colaborativos nos escritórios foi de conforto e compartilhamento para risco de contágio.

Para reduzir a chance de transmissão do vírus nas empresas, duas áreas em particular devem ser contempladas com soluções adaptadas de layout e operações, segundo o Instituto Americano de Arquitetos: entrada e locais de circulação e espaços colaborativos, como lounges, cozinhas e salas de reuniões.

Neste artigo, vamos abordar quais são as modificações mais recomendadas para que a volta ao escritório seja segura e responsável. Ótima leitura!

Reabertura das empresas

Nas últimas décadas, escritórios adotaram o conceito aberto e reservaram mais metros quadrados para espaços de colaboração e reuniões. Nas condições atuais, o desafio da arquitetura corporativa está em como manter as interações entre as pessoas e ao mesmo tempo a distância física, tornando o ambiente de trabalho seguro, sem perder a essência.

A reabertura segura dos escritórios está atrelada à permissão das prefeituras e à elaboração de um plano de retorno, que inclui:

  • Protocolos de limpeza
  • Obrigatoriedade de uso de máscara
  • Distanciamento social
  • Horários de expediente
  • Implantação de modelos híbridos de trabalho
  • Ocupação máxima do escritório

Riscos e estratégias

Conheça as readequações indicadas pelo Instituto Americano de Arquitetos e pelo Centro de Controle de Doenças nas áreas críticas dos escritórios.

Área de entrada e circulação

A entrada é um local de elevado risco de contaminação, por isso é necessário implantar protocolos de higiene e limpeza sempre que alguém chegar ao escritório. Entre as opções, estão tapetes desinfetantes, dispenser com álcool em gel e área para armazenamento de guarda-chuvas e outros pertences.

A adoção de entradas e saídas independentes e a delimitação do sentido de circulação de pessoas foram duas de uma série de estratégias adotadas por companhias na Ásia e Europa a partir da flexibilização da quarentena.

espacos-colaborativos

Armário em entrada de escritório para armazenar itens pessoais.

No piso, flechas indicam o sentido único de circulação – mesmo método adotado em hospitais durante a pandemia na tentativa de frear a proliferação de patógenos.

Já para os itens pessoais, a indicação é que sejam armazenados em lockers de uso individual, evitando, dessa forma, que fiquem sobre as mesas de trabalho ou em contato com o chão.

Também considere incluir no protocolo de prevenção a medição da temperatura dos funcionários, o uso obrigatório de EPIs e a higienização/lavagem das mãos para todos que entrarem na empresa (colaboradores, clientes e fornecedores).

Lounge, espaço de descanso e descompressão

O distanciamento social é desafiador para a ocupação desses espaços, usados antes da pandemia para trabalho, reuniões, palestras, eventos, refeições e demais atividades.

Uma opção é retirar os mobiliários coletivos e substituí-los por estações de trabalho individuais com divisores autoportantes.

Caso a intenção seja manter o espaço compartilhado, a sugestão é traçar um raio de 1 metro de distância entre sofás, pufes, mesas e cadeiras, além de reforçar a importância de limpeza das superfícies antes e após o uso.

Cozinha e refeitório

A solução é estabelecer turnos de utilização, além de dispor as cadeiras no esquema de zigue-zague, também respeitando o distanciamento mínimo de 1 metro.

O afastamento também deve se aplicar à fila para acessar objetos comuns, como cafeteiras, refrigeradores, bebedouros, micro-ondas e pias.

Dispensers de sabão e toalhas descartáveis, torneira sem toque e lixeiras de pedal são elementos básicos que ajudam na redução de contato das superfícies. Também deve ser estabelecida uma rotina de desinfecção de utensílios antes e após o uso.

O acesso à cozinha e ao refeitório deve acontecer, preferencialmente, sem tocar na porta, por isso mantenha-a aberta sempre que possível.

Sala de reuniões

Reduzir o adensamento é primordial. Observe a metragem da sala para encontrar um número seguro para a capacidade máxima e que respeite o distanciamento mínimo de 1 metro entre as pessoas. Remova cadeiras e faça a disposição de forma a evitar que os participantes fiquem frente a frente.

Uma solução é substituir a típica mesa de reunião por poltronas com pranchetas individuais, ou manter a mesa e instalar divisores autoportantes.

espacos-colaborativos

Divisores autoportantes em mesa de reuniões: solução prática e flexível para escritórios.

Além de adaptações no mobiliário, mantenha a sala bem arejada e evite o uso do ar-condicionado. Não sirva alimentos e bebidas (caso não quiser abrir mão, opte por embalagens individuais) e deixe álcool em gel, copos descartáveis e máscaras à disposição. Quando o tempo permitir, faça reuniões em áreas externas e mantenha o distanciamento entre as pessoas.

O design tem um papel fundamental no processo de reabertura de escritórios para torná-los mais seguros e saudáveis. A Riccó Móveis, empresa com 145 anos de mercado, lançou serviço de Safe Design, para ajudar os negócios a reabrir com segurança. Obtenha todas as informações, clicando no banner abaixo.

ricco-volta-ao-escritorio-safe-design

SCROLL UP